Eu amo Rio Negrinho

Saúde esclarece sobre exames e acompanhamento do Covid-19

Há muitas dúvidas sobre testes rápidos e o exame confirmatório RT-PCR, além do monitoramento dos pacientes positivados.
24/07/2020 15:15

O grande número de casos de Covid-19 em Rio Negrinho tem colocado a população em alerta. Com novos números surgindo a cada dia, há dúvidas sobre as diferenças entre o teste rápido e o exame realizado pelo Lacen (Laboratório Central de Santa Catarina), bem como sobre o acompanhamento dos casos positivos para a infeção viral.

 

De acordo com o Comitê de Técnica e Ética Médica da Secretaria de Saúde de Rio Negrinho, os chamados “testes rápidos” não são o ponto mais importante para o diagnóstico e tratamento da Covid-19. “O essencial é o acompanhamento do paciente pelo médico”, explica o médico e diretor técnico da Secretaria, Luis Eduardo Rodrigues.

 

Segundo ele, o teste rápido utilizado pela Secretaria de Saúde de Rio Negrinho foi distribuído pelo Ministério da Saúde com autorização da ANVISA. Conforme o comitê, o fato do teste rápido dar positivo obriga a Vigilância Epidemiológica a seguir o protocolo do Ministério da Saúde quanto à quarentena de 14 dias. “Os resultados dos exames podem ser falso-positivos e falso-negativos, esse fato reafirma a necessidade do acompanhamento médico com reavaliação clínica frequente, independente do resultado”, ressalta o médico.

 

Luis explica que esse acompanhamento é ainda mais importante levando-se em consideração que o tempo para solicitação de cada tipo de exame pode levar a erros de resultados. Importante ressaltar que o exame confirmatório, chamado RT-PCR, segundo a Nota Técnica 002/2020 da Secretaria de Saúde de Santa Catarina deve ser priorizado para pacientes hospitalizados e que necessitam de cuidados avançados para a Covid-19, não sendo indicado para pacientes assintomáticos, em especial.

 

Já a solicitação de exames complementares, incluindo a chamada contraprova (exame confirmatório) deve ser realizado e avaliado pelo médico assistente do paciente. “Não há evidências, até o momento, que o exame chamado IgG seja comprovação de “imunidade” ou “cura” da Covid-19, por isso o Ministério da Saúde denomina “casos recuperados” e não “curados” quando o paciente apresenta aumento do IgG”, destaca Luis Eduardo.

 

A Secretaria de Saúde disponibiliza no Centro de Triagem médicos e enfermeiros para esclarecimento de dúvidas em relação aos exames e tratamentos possíveis, estando à disposição todos os dias da semana. “Dessa forma, a Secretaria de Saúde reforça que, no caso de contato ou suspeita de Covid-19, o paciente procure o Centro de Triagem da Secretaria ou seu médico de confiança, evitando ao máximo realizar exames por conta própria”, pede a secretária de Saúde Fátima Afonso. 

 

Além disso, a secretária recomenda seguir sempre a orientação da Vigilância Epidemiológica. “Além dos resultados de exames, o mais importante é o acompanhamento clínico do paciente e o isolamento social faz toda a diferença nesse momento crítico da pandemia ”, encerra ela.

 

Download das fotos em alta resolução
Carregando