Eu amo Rio Negrinho

Parque Paul Harris será inaugurado no sábado

Espaço destinado à convivência está localizado na região central de Rio Negrinho
21/02/2018 11:29

A partir de sábado, Rio Negrinho contará com um novo espaço para o lazer. Neste dia, a Prefeitura de Rio Negrinho inaugura o Parque Paul Harris, às 10 horas, localizado no Centro da cidade, e que foi reestruturado para receber o público e servir de área de integração da comunidade com a natureza. O trabalho de revitalização do Parque é uma iniciativa do Rotary Club Rio Negrinho, que desenvolveu o projeto. As melhorias no parque foram realizadas por meio de convênio com o Governo do Estado, através do deputado estadual Silvio Dreveck, na ordem de R$ 241,1 mil, sendo R$ 149,9 mil do Estado, e contrapartida de R$ 91,1 mil por parte da Prefeitura de Rio Negrinho.

O parque denominado Paul Harris, está localizado no final da rua Duque de Caxias, no Centro, e foi totalmente revitalizado em sua área próximo à linha férrea, no Centro, onde antigamente era a quadra de esportes da Sociedade Radar Esporte Clube. “O espaço deve se tornar uma excelente opção de lazer no município, disponibilizando vários espaços para uso gratuito da população”, analisa o prefeito Julio Ronconi.

Ao todo, foram construídos no local 251 metros quadrados de passarelas elevadas em madeiras dentro das trilhas, uma casa de 85 metros quadrados a qual será sede para a educação ambiental e deverá ser utilizada pelos escoteiros, Polícia Militar e Corpo de Bombeiros em palestras. O projeto contempla, ainda, a instalação de três pontes e três trapiches de madeira e a recuperação da quadra do Radar.

Todo o trabalho conta com o licenciamento ambiental emitido pela Fatma (Fundação de Meio Ambiente de Santa Catarina). “Como compensação ambiental, a Prefeitura de Rio Negrinho se comprometeu a plantar 500 mudas de árvores nativas”, ressaltou o procurador do Município, Wagner Albuquerque, explicando que a conclusão do projeto se arrastava há alguns anos por conta da negativa da gestão anterior em atender ao pedido do Ministério Público. “Não só atendemos o pedido de compensação ambiental, como o prefeito Julio Ronconi se comprometeu em atender outras exigências pleiteadas pelo Ministério Público junto a Ação Civil Pública”, ressalta o procurador.

O deputado estadual Silvio Dreveck foi o autor da emenda parlamentar para a liberação da verba junto ao Governo do Estado, via Fundosocial, através da solicitação do Rotary Club, que teve papel preponderante para que o parque pudesse se tornar realidade, articulando inclusive junto à Prefeitura a compra do terreno, ainda em 2005, para abrigar o parque, assim como a retificação da área e os projetos para melhoria. O nome do parque é em homenagem ao fundador do Rotary Club Internacional Paul Harris.

A implantação do parque é considerada o embrião de uma ação maior, prevista no Plano Diretor de Desenvolvimento Ambiental Urbano e Rural de Rio Negrinho, compreende a implantação de espaços públicos (parques) ao longo dos rios urbanos, em faixa mapeada como área de risco de inundações. Esses parques serão futuramente interligados por ciclovias e caminhos demarcados, destinados especialmente à prática de caminhadas, estimulando também a atividade física.

 

História

O parque está localizado na antiga sede do Radar Esporte Clube, fundado oficialmente em 07 de dezembro de 1956 por iniciativa de jovens rio-negrinhenses que uniram-se para fundar um clube esportivo, inicialmente com a modalidade de vôlei e mais parte basquete e futebol de salão.

O terreno para a construção da quadra foi cedido pela família Neidert e ficava próximo à estrada de ferro e como não tinha entrada pública, o acesso era realizado pelos trilhos. Já em 1955, aos sábados, domingos e após o horário de trabalho durante a semana os sócios, rapazes e moças, acorriam ao local para ajudarem na construção da quadra utilizando pás, enxadões, picaretas e carrinho de mão. Tomaram como modelo a quadra do Grupo Escolar Marta Tavares.

O empenho da juventude sensibilizava a todos, que de uma forma ou de outra procuravam colaborar para que o sonho da construção de um grande clube esportivo se tornasse realidade.

O senhor Afonso Tschoeke, morador da rua Duque de Caxias, permitiu que o material de construção como tijolos, areia, telhas e a madeira para a edificação do vestiário, passem pelo seu terreno.

O senhor Clóvis da Silva, vendo a força de vontade de todos, solicitou junto ao prefeito Frederico Lampe a permissão para que o trator da Prefeitura aplainasse o terreno para facilitar o trabalho dos voluntários. A quadra foi demarcada com cimento de acordo com as medidas oficiais, o chão era firme e ensaibrado. Uma pequena elevação próxima à quadra destinou-se aos torcedores.

O chuveiro era um latão com uma ducha adaptada suspenso por uma corda que corria numa roldana e a água era trazida do riacho que passava próximo ao vestiário. A Empresul, empresa de energia elétrica, realizou gratuitamente a iluminação para que a cancha pudesse ser utilizada à noite, doando os postes e os fios. O senhor Alfredo Grossl, latoeiro, fez os bojos de latão onde eram colocadas as lâmpadas. O senhor Frederico Lampe ajudou com madeira para o vestiário.

O senhor Clóvis Silva incentivou muito na construção da quadra, fazendo campanha para a aquisição de tijolos, areia e tudo o que era necessário. O Estádio foi denominado “Edulino Gisbert Neidert”. Ao clube foi dado o nome de Esporte Clube Radar, bastante sugestivo, baseado em recente e revolucionária invenção da época.

O símbolo possuía ao centro o desenho do átomo, partícula em evidência e que mudou os rumos da ciência após a segunda guerra, por sugestão de Plácido Steffen, que na época fazia curso de rádio-técnico por correspondência e nas apostilas havia o desenho. O emblema foi desenhado por Senildo Neidert que estudava na Escola Técnica do Paraná.

Foi confeccionada uma bandeira utilizando o emblema que também era exibido nos uniformes dos integrantes do clube. O uniforme das moças era calção azul, blusa branca com emblema na frente, saia curta e pregueada e os rapazes usavam calção azul e camiseta branca. Cada componente comprava seu uniforme e o trabalho de bordado do emblema era realizado pelas moças.

 

Agende-se

Inauguração do Parque Paul Harris

Sábado, dia 24 de fevereiro de 2018

Às 10 horas

Na rua Duque de Caixas, no Centro

Download das fotos em alta resolução
Carregando