Eu amo Rio Negrinho

Rio Negrinho sobe no ranking do mapa turístico nacional

O mapa é a ferramenta do Ministério usada para direcionar políticas públicas e verbas federais
20/02/2018 11:00

Rio Negrinho integra a seleta lista de 25 municípios catarinenses que subiram no Mapa Turístico, elaborado pelo Ministério do Turismo. A cidade passou da categoria D para a categoria C, aumentando a possibilidade de buscar recursos para esta área. O mapa é a ferramenta do Ministério do Turismo usada para acompanhar o desempenho das cidades nesse setor e direcionar políticas públicas e verbas federais.

A subida no ranking se deve ao crescimento econômico no setor, segundo o Ministério, seja por aumento no número de empregos por meio do turismo, ampliação de estabelecimentos formais de hospedagens ou fluxo de turistas brasileiros e estrangeiros. O Mapa do Turismo Brasileiro 2017-2019 pode ser acessado neste site. As categorias vão de A a E. A classificação determina o quanto de verba federal o município pode disputar para fazer eventos turísticos. “Isso é resultado do trabalho em equipe que está sendo feito via Comtur (Conselho Municipal de Turismo) e Núcleo de Turismo da Acirne. São parcerias público-privadas, com forte participação do trade turístico”, ressalta a coordenadora de turismo da Prefeitura de Rio Negrinho, Raquel Bacic Gehring.

Conforme ela, a subida de Rio Negrinho no ranking deve-se a vários fatores adotados pela atual administração, desde a atualização de dados junto ao Ministério do Turismo, a ações de planejamento e atividades práticas que já estão saindo do papel. “O benefício dessa categorização é o aumento da verba que podemos pleitear. Enquanto éramos da categoria D, podíamos pleitear R$ 150 mil anualmente para eventos turísticos. Agora na categoria C podemos pleitear R$ 400 mil”, destaca Raquel.

 

Projetos

A coordenadora de Turismo lembra que em 2017, a Prefeitura cadastrou projetos com o objetivo de buscar recursos. “Ano passado já fomos contemplados com um projeto de sinalização turística para a área rural do Rio Casa de Pedra, via Secretaria Estadual de Turismo, Cultura e Esporte. Esse ano estamos cadastrando quatro projetos via Secretaria Estadual e cinco projetos via Ministério de Turismo. Também vou ajudar associações a elaborar projetos via Lei Rouanet”, explica ela, citando a Asturine para revitalização da sede, OberlandFest e Festa Polonesa para a realização de seus eventos. “Assim eles poderão captar mais verbas e realizar um evento maior, com melhor produção e dinheiro para divulgação, assim vão deixar de ser somente eventos locais e atrair mais turistas. Também estamos inscrevendo um projeto de revitalização do Pavilhão para ser uma área com agricultura familiar e atividades culturais diversas”, exemplifica.

 

Planejamento

A melhora no ranking deve-se também ao planejamento turístico que teve início em 2017. “O prefeito Julio Ronconi é um grande incentivador do turismo e consegue ter a visão de que o turismo é uma atividade que pode desenvolver a economia”, destaca Raquel. Neste aspecto, ela cita a importância de a cidade ter um Plano Municipal de Turismo, que além de ser um projeto de planejamento estratégico completo, também é um dos requisitos que o Governo Federal pede para liberar recursos. “Ainda não é uma obrigação, mas em breve somente municípios que tiverem um Plano Municipal de Turismo poderão receber recursos. Sendo assim, contratamos o Sebrae para elaborar o PDITS (Plano de Desenvolvimento Integrado de Turismo Sustentável)”, cita ela. Os PDITS municipal e regional serão entregues dia 07 de março, que deve se tornar projeto de Lei e para que todas as ações sejam realizadas e tenham continuidade.

Além disso, de forma regional, Rio Negrinho foi contemplada com recursos da Secretaria de Estado de Turismo para a elaboração do Place Branding regional, que também já está em processo de implantação. “Dia 8 de março teremos o primeiro workshop participativo em Rio Negrinho, para a construção coletiva na nossa marca regional. Essa verba só foi possível conseguir pelo trabalho regional”, fala Raquel.

Outro projeto que foi contratado via Consórcio Quiriri foi o Acolhida na Colônia, que está na terceira etapa de implantação, que será de diagnósticos nas propriedades que começarão a ser realizadas dia 22, em duas propriedades do Rio Casa de Pedra.

 

foto crédito: Christian Hacke

Download das fotos em alta resolução
Carregando